IMPORTAÇÃO DE ARMAS PELO BRASIL CRESCE 94% E BATE RECORDE EM 2020


Uma das primeiras Glock 17 da “terceira geração” (pistola de tamanho normal com câmara para Parabellum 9x19mm), identificada pela adição de apoios para o polegar, um trilho acessório, ranhuras para os dedos na alça frontal do cabo da pistola e um único pino cruzado acima do gatilho.

Dados do Ministério da Economia revelam que a importação brasileira de revólveres e pistolas bateu recorde em 2020. No total, foram adquiridas 105,9 mil armas no ano passado contra 54,6 mil em 2019, o que representa uma alta de 94%. O comércio gastou US$ 29,3 milhões, enquanto que no ano anterior foi de US$ 21,3 milhões. O montante inclui tanto compras pelos governos como por cidadãos comuns. A Áustria foi a principal fornecedora de armas para o Brasil, vendendo 85,8 mil produtos, seguida pelos Estados Unidos (14,1 mil pistolas e revólveres), República Tcheca, Eslovênia e Israel. Ainda segundo dados do Ministério da Economia, desde 2018 o número de armas importadas vem crescendo. A compra de outros países começou a se expandir ainda mais sob o governo de Jair Bolsonaro (sem partido), com a flexibilização das normas para compra de armas no país.

Você pode gostar...